abuso de poder da parte das plataformas: Amadeu explica por que redes sociais não devem ter o poder de excluir usuários

Sérgio Amadeu da Silveira*

“As sociedades democráticas precisam supervisionar as plataformas, em vez de ser controladas por elas”, avalia o sociólogo e pesquisador de redes digitais e tecnologias da informação Sérgio Amadeu da Silveira

“Donald Trump e Jair Bolsonaro, um ex e outro chefe de Poder Executivo, atacaram abertamente a ciência, criaram ondas de desinformação que acarretaram gravíssimos problemas à saúde pública e incentivaram a violência aberta contra a democracia: enfim, praticaram crimes. Diante disso, as instituições fundamentais da Justiça não atuaram para fazer valer a lei e a Constituição. As redes sociais, então, agiram, bloqueando discurso desses líderes da extrema direita. Não deveríamos aplaudir essa troca de papéis”, alerta o especialista.

Amadeu esclarece que essa ditadura dos algoritmos não gera consequências apenas para quem aparentemente as mereça. “São inúmeros os casos de censura aos movimentos feministas no Facebook. O ex-ministro da Cultura Juca Ferreira teve uma postagem que continha a imagem de um acervo artístico censurada pela rede social de Mark Zuckerberg. O episódio do podcast Tecnopolítica, de minha autoria, que tratava do racismo algorítmico, teve restrição de impulsionamento por ser considerado “conteúdo bizarro” pelo YouTube. Alguns dias depois, porém, foi liberado sem nenhuma explicação do que teria sido considerado ofensivo ou fora das regras da plataforma de compartilhamento de vídeos”.

É um sociólogo brasileiro, nascido em 22 de agosto de 1961, geralmente lembrado como defensor e divulgador do Software Livre e da Inclusão Digital no Brasil. Foi um dos grandes implementadores dos Telecentros na América Latina e presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação.

Veja outras notícias
Opinião
Menu